Revisão sistemática da literatura

Revisões sistemáticas da literatura têm como objetivo apresentar uma avaliação criteriosa de um tópico de investigação através de metodologia que permita a auditoria dessa revisão.

Seguindo Alarcão, a revisão sistemática da literatura passa pelo mapeamento, que significa listar os autores principais que nos anos recentes têm criado referências sobre o objeto de estudo, a garimpagem ou filtragem dos autores, e categorizá-los em relação aos objetivos do trabalho e à epistemologia pessoal de cada um de nós enquanto investigadores. E por último, a revisão sistemática da literatura passa pela autoria, que é a construção do pensamento a partir das escolhas e exclusões (justificadas também) dos autores que serão o quadro de referência.

Ideias-chave da revisão de literatura

Da Wikipedia

Baxter, Hughes and Tight (2001)

Anderson & Arsenault (2002)

Hart (1998)

1. Seleção – que textos vou ler?

2. Análise –

3. Como é que isto está a ser investigado? Aqui começa o aspeto crítico. A forma como isto está a ser investigado. Por exemplo, apenas um único método, hipóteses (vs. explorar). A forma como o conhecimento é construído leva a que o conhecimento seja um e não outro. Pode até levar a influenciar os resultados. Os resultados dependem do método utilizado e das questões científicas e têm de ser colocados em contexto. Tem a ver com as condições sócio-culturais e econômicas. O método e a forma ao serviço de determinadas agendas ideológicas é que produz resultados. A verdade dos resultados pode até ser verdade, mas não desmonta necessariamente o contexto para

Instrumentos de avaliação da qualidade dos textos. Instrumentos de avaliação dos artigos. Não é só a peer review. As regras de exclusão do artigo. Má qualidade da investigação é importante analisar.

O lobby das publicações é enorme.

Deve-se reter:

O corpo de conhecimentos que já está produzido por outras pessoas, ou saberes quem são, identificarmos os companheiros de viagem, ver os projetos no Orcid.

A revisão de literatura é um processo em fase. É preciso coligir ideias. Há que analisar, ler e tomar notas.

Avaliar criticamente é também interpretar com epistemologia

Sistematozar

Apresentar

A finalidade da revisão sistemática da literatura é definir o contributo que nos permite aprofundar a metodologia (caso, biografias, etc)

Documentado, pessoal

A pessoalidade vem das questões que se colocam, nos textos didáticos escolhidos, nas abordagens,

O que se traz para a discussão é que mostra como se lê o mundo. Aí vê.se os posicionamentos que se podem discutir.

Estado da arte

O grupo de Geneve para o Português

Intercompreensão romanófona

Pluricentrismo

Sustentabilidade

Intercompreensão das línguas românicas (compreensão ou interação)

Intercompreensão da interação

Sócio-interacionismo

Em síntese já se sabe isto, isto e isto, neste trabalho vamos procurar alcançar isto Qual é o contributo / que novos caminhos propõe a nossa tese?

Do ponto de vista metodológico, porque é que isto interessa?

A totalidade dos objetivos é os

Identificar os gaps

Videos plurilingues

A maioria dos estudos são case studies, mas não há sondagens que nos permitam a contextualização macro dos estudos de caso.

Your site doesn’t have any tags, so there’s nothing to display here at the moment.

A ferramenta Start apresenta um conjunto de etapas

Planear

Protocolo

Objective: Este protocolo de RSL apresenta a estrutura metodológica para a execução da etapa de revisão da literatura sobre XXXXXX.

Main question: Os mapas conceptuais podem ser usados como instrumentos de avaliação de aprendizagem ?(Questão principal de investigação das bases de dados / mais fácil se proporcionar sim ou não )

Population: Produções científicas sobre o uso de (ex. mapas conceptuais)….

Intervention: Leitura e separação de utilização de mapas conceptuais

Critérios de inclusão e exclusão e duplicados

Control: Artigos que efetivamente usam … (ex. mapas conceptuais)

Outcomes (Results): Ex. Mapas conceptuais usados para avaliação

Context (Application): Avaliação da aprendizagem com mapas conceptuais (e.g)

Execução

Bases de dados (IEEE.org, Scopus, Web of Science,

Sumário

rigor e replicabilidade

  1. tema e área de investigação
    1. procurar o que não se sabe sobre o tema e gaps (poica literatira sobre essas “lacunas”
    2. dentro deste espetro o que que queremos saber?
    3. desenhar as perguntas de investigação
  2. criar um protocolo de pesquisa
    1. em bases de dados que critérios de exclusão e inclusão
    2. há bases de dados específicos (ex, eric para a educação)
    3. período temporal (ex. sustentabilidade e impacto, desde o ano 2000 — sustentabilidade)
    4. palavras-chave (observar artigos de outros investigadores e compreender que palavras-chaves – project sustainability)
    5. ferramentas (excel, ou outras), webQDA (a técnica de análise de dados implica codificação), Mendeley
    6. Critérios de inclusão / exclusão: artigos científicos, período temporal, língua, autores de referência, e que discuta a sustentabilidade
    7. A seguir, bases de dados: às x só precisamos de uma base de dados, ler os resumos e as palavras chave
    8. prestar atenção aos operadores boleanos (and, or, aspas (scielo)
    9. Fluxograma para esquematizar o processo de seleção de artigos para
    10. Codificação da caracterização dos artigos
    11. Link para recuperar a pesquisa (conunto das palavras-chave com os filtros, etc)
    12. Tenho um corpus e agora?
      1. Identificar a tecnica de análise de dados e tipo de revisão de literatura
      2. Ler sobre tipos de rev de literatura (brent e booth)
      3. Técnicas de análise de dados (conteúdo e contexto)
      4. Identificar tipos de análise da literatura, mas fixar-se num referencial teórico (fichas de leitura, e comentários)
      5. Rev de literatura + teoria conceptual (passos para análise de conteúdo)
      6. Fichas de leitura (palavras-chave, temas, citações relevantes, referências bibliográficas, resumo) + webQDA
      7. Começar pela metodologia
      8. Ideia de artigos no layout do artigo
      9. WebQDA + catgorias de análise
    13. Escrever
      1. cruzar informaçao : procurar pontos comuns na informação organizada nas fichas de leitura e posicionarem-se criticamente (eu concordo mais com a ideia x do que com a ideia y). Importante haver posicionamento senão estamos apenas a replicar a informação de outros – é a nossa opinião que cria a nossa identidade, e dá o contributo. Sempre de forma fundamentada, acrescentar algo aos autores lidos.
    14. Na Introdução, recolha + complementares
    15. Revisão da literatura versus estado da arte: espaço temporal. Estado da arte (até 5 anos antes), revisão sistemática da literatura pode ser mais abrangente dependendo do objjetivo (sustentabilidade e obetivos do milénio)